Defensoria Pública obtém segunda absolvição no Júri para o mesmo assistido

O julgamento ocorreu na manhã desta quarta-feira, 27.

Por Rafael Guerra
27 Out de 2021, 1 mês atrás
Defensoria Pública obtém segunda absolvição no Júri para o mesmo assistido

 

O Tribunal do Júri acatou a tese de negativa de autoria da Defensoria Pública do Estado do Amapá (DPE-AP) e absolveu, novamente, assistido da instituição. O julgamento ocorreu na manhã desta quarta-feira, 27.

A primeira absolvição ocorreu no dia 14 de outubro e os casos tem relação.

Segundo a acusação, o homem teria assassinado Antonio e Robson motivado por ciúmes. As mortes ocorreram em datas diferentes.

O primeiro homicídio foi no fim de 2007, quando o acusado teria procurado Antonio, atual namorado de sua ex-esposa, mas só encontrou Robson, com quem dividia a casa. Em um desentendimento, Robson teria sido morto. Antonio, que seria o alvo inicial, foi morto no início de 2008.

Para os dois casos, o defensor público José Rodrigues alegou que o assistido era inocente, pois no período das mortes ele não estava em Macapá. Além disso, o reconhecimento por foto ou por pessoa, a noite e com o autor encapuzado, não pode ser suficiente para uma condenação.

“Também consegui mostrar aos jurados que os dois homicídios tiveram características de execução e não de crime passional, como sugeria a acusação”, explicou.

Com as duas absolvições, o assistido da DPE-AP que estava preso desde 2019, foi solto.