Defensoria Pública resgata cidadania de atingidos pelas fortes chuvas, em Macapá

Em um dia de atendimento, foram emitidas mais de 60 segundas vias de documentos.

Por Ingra Tadaiesky
15 Fev de 2024, 2 meses atrás
Defensoria Pública resgata cidadania de atingidos pelas fortes chuvas, em Macapá

 

Além dos rastros de destruição, a forte chuva que atingiu diversas áreas de Macapá nos últimos dias também levou a cidadania de muitos moradores que acabaram perdendo toda a sua documentação. Para amenizar os efeitos do sinistro, a Defensoria Pública do Amapá (DPE-AP) realizou um mutirão que assegurou os direitos de mais de 60 pessoas que puderam tirar suas segundas vias e recuperar a cidadania.

Nesta quinta-feira, 15, a Carreta da DPE-AP estacionou em frente à escola Reinaldo Damasceno, atual abrigo dos atingidos, para oferecer assistência às famílias afetadas. O objetivo era claro: emitir a segunda via das certidões de nascimento, casamento e óbito perdidas na catástrofe.

Segundo a subdefensora pública-geral, Elena Rocha, os documentos não são apenas papéis. Eles representam a garantia de acesso a uma série de serviços essenciais, desde saúde e educação até, neste caso, moradia através do “Aluguel Social”, benefício destinado às vítimas de calamidades públicas. A perda desses documentos os priva de suas identidades legais e os coloca em uma situação de vulnerabilidade ainda maior.

"As famílias atendidas hoje foram atingidas por fortes chuvas e perderam não apenas suas casas, mas também a forma de acessar os seus direitos. Por isso, estamos aqui hoje para resgatar a cidadania dessas pessoas, emitindo a segunda via de suas documentações. Isso permitirá que elas possam ser inseridas em projetos sociais que auxiliarão em seu restabelecimento", ressaltou Elena.

Nesiomar Rodrigues foi uma das pessoas atendidas nesta quinta-feira.

“Me dá um alívio saber que agora eu não estou desamparado. Sem documentos nós não somos ninguém e agora, mais do que nunca, vou precisar deles”, disse o assistido.

A ação da Defensoria Pública do Amapá trouxe alívio imediato para essas famílias, assim como ressaltou o compromisso da instituição em defender os direitos humanos e garantir o acesso à justiça para todos, independentemente das circunstâncias.